mandrágora

Mandrágora: por que as pessoas tinham medo dessa planta?

Handreza Hayran
Handreza Hayran
3 Minutos de Leitura
Fonte: Instagram @yoki_tokki

Existem tantas lendas em torno desta planta que ela própria se tornou uma lenda. Havia até referências a ela na Bíblia. Muitas pessoas ainda pensam que a mandrágora é uma planta fictícia e existe apenas em contos de fadas.

Mas a verdade é que a mandrágora é uma erva perene venenosa com uma raiz que se assemelha a uma figura humana e com folhas grandes de até 80 cm.

Características da Mandrágora

Mandrágora é uma erva da família Solanaceae. Encontrada no Mediterrâneo, Ásia e Himalaia.

As folhas são grandes, com até um metro de comprimento, e tem um cheiro desagradável.

Não há caule, então todas as folhas são coletadas como uma cenoura.

Raiz da da Mandrágora

É hora de falar sobre sua raiz. Por muito tempo, todos os tipos de propriedades mágicas foram atribuídas a ela: poções para feitiço de amor, cura e muitas outras.

As raízes foram usadas como um talismã que trazia poder e prosperidade. Muitas vezes a colocavam vestida com roupas e sentada à mesa como um convidado ou membro da família.

De acordo com a crença popular, as raízes da Mandrágora:

  • Expeliam os espíritos;
  • Curavam a epilepsia;
  • Era afrodisíaca se bebidas com vinho.

O efeito alucinógeno e narcótico das raízes da planta foi usado para anestesia em cirurgia nos tempos antigos (até o advento do éter para anestesia).

Uso da mandrágora nos dias de hoje

Hoje, na medicina, a mandrágora é usada para:

  • Tratar tumores;
  • Tratar edema;
  • Tratar doenças gastrointestinais;
  • Tratar vitiligo;
  • Tratar dores musculares;
  • Para náuseas.

Hoje em dia, a mandrágora também é usada para obter analgésicos, que são usados ​​para dores nos músculos e nas articulações. E também como pílula para dormir.

Além disso, as folhas causam um efeito refrescante, por isso também é adicionada a várias pomadas e géis para o tratamento de feridas externas.

O uso da mandrágora hoje não é aconselhável, pois muitas vezes a perigosa dose do medicamento dessa planta ultrapassa o necessário para se obter o resultado desejado no tratamento.

Deve-se levar em consideração que você não pode tomar medicamentos sem a permissão e orientação de médicos.

Compartilhe este Post